quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Minha mais rara Flor.

Não me lembro quando te conheci,
Não me lembro da data. Nem que horas eram.
Eu sempre me esqueço de tudo,
Finjo que sei e fico mudo.
É bom para não te atordoar.
Não me culpo por tal displicência
Afinal, já fazem quase 40 anos.
Sou feliz ao seu lado, sempre fui
Pude por todos esses 66 anos de idade jurar a todo dia
Que não queria mais viver ao seu lado
E na manha seguinte, você me acordava com aquele lindo sorriso.
Minha memória me é falha
Minhas mãos hoje são tremulas.
Mas ainda me lembro das rosas.
Da carta
E do poema.
Assim eu dizia.
“Moça a quem tanto amo, moça a quem não engano,
Desejo a nós vida longa, pois ao teu lado para sempre quero dormir”
Frases perdidas, sem rimas
Que te encantaram quando menina.
Como o tempo passa ligeiro,
Lembro do Paulo, em seu primeiro dia de escoteiro.
Eu sempre pensei que iria primeiro...
Te jurei cuidar de ti para sempre, dure o sempre quanto tempo durar.
Preciso parecer forte diante de tantas pessoas.
Não faço idéia de quem sejam metade delas.
O Paulo não vem, teve de viajar
Aquele trabalho que lhe consome
Aquele trabalho, sempre em primeiro lugar.
Você ainda está tão linda
Combina com cada uma das flores neste lugar.
Seu lugar preferido.
Nosso jardim proibido.
Deus, como você está fria.
Quase me perco em uma lagrima
Ninguém notou.
Tenho de ser forte
Forte por você meu amor.
E vá agora para onde for, mas não carregue esse cheiro de flor.
Vou derrubar seu jardim
E criar algo para mim.
Algo para não me deixar esquecer
Que um dia tive você.
Já não consigo conter minhas lágrimas.
Pás de terra que vão e vem
Como se ali não houvesse ninguém.
Adeus meu amor.
Vou cuidar dessa vida,
Sem teu cheiro de flor.

Por – Vinicius Casé de La Sota

2 comentários:

Prika disse...

Não há como não gostar das coisas que vc escreve.

A-D-O-R-E-I
Lindo demais!

Bruna Cabral disse...

Te jurei cuidar de ti para sempre, dure o sempre quanto tempo durar.

É, você é muito bom mesmo!